sábado, 15 de agosto de 2009

Inaugurando com Lobisomem!

Oras, olá pessoal, hoje estamos inaugurando o "Complexo Paranóico". Já tiveram como primeira postagem o nosso pequeno "Making Of" contado pelo Helder que deve uma participação muito precisa no momento de nossa criação.

Assim como ele ja disse, aqui falaremos sobre tudo, mas como 'tudo' é muito vago, preferimos dizer que falaremos sobre Batatas.

Como é dia de inauguração, vejamos o que posso contar, puxa uma cadeira, senta, toma uma pinga, e vamos conversar.
Vou começar os meus contos com algo muito, muito erotico... digo... Muito exotico. Digamos, vou começar por uma historia verídica contada por moradores velhos de cidades roceiras (estou querendo dizer Monteiro Lobato).
Bom, até onde eu sei, é veridica, vai saber la se a velha (que mais parecia uma bruxa) estava dizendo a verdade ou se simplesmente estava tirando com a minha cara.



A historia começa mais ou menos assim:
"Era tarde de uma quarta feira, e o sol ja estava se pondo, quando um belo casal de namorados iam passear por um bosque para poderem namorar escondidos dos pais, que por sinal eram como Cães e Gatos, tipo que, o Garoto era negro e escravo e a garota filha do dono do escravo, ou seja, o namoro era EXTRITAMENTE proibido.
Bem, esse nao era o maior dos problemas, o problema maior ainda esta por vir, pois o casal nao sabia que o tal bosque era tomado por "estranhos cachorros" durante as noites de lua cheia de quarta e sexta feira (porque quarta e sexta feira eu nao sei, mas é assim que eles contam).

O casal caminhava pelo bosque feliz da vida, estavam a alguns quilometros da casa e ja estavam no meio do mato, e a meia luz, pois o sol ja havia partido.
Quando perceberam que estavam sendo iluminados apenas pela luz da lua cheia.

Como o dia estava quente, eles resolveram ficar mais tempo do que costumavam ficar, e este foi o erro.

Antigamente, costumavam dormir cedo nessas cidades estranhas, ou seja, o casal eram os unicos que estavam se 'pegando' la no meio do mato (talvez alguns escravos estivessem comendo feijoada e dançando capoeira naquele horario, mas como ja sabiam, nao deveriam se aproximar do bosque).

O casal ja estavam a tempo o suficiente para raciocinarem que poderiam sentir falta da presenta de ambos em suas casas (no caso do escravo, nao seria casa né...), entao resolveram partir.
Foi quando ouviram, atras dos montes, uivos sinistros.
A garota assustada se protegeu nas costas de seu amado, que se armara com um pedaço de pau.
E o uivo se aproximava cada vez mais. E mais.
Até que eles puderam ouvir animais correndo, como se estivessem fugindo, ali por perto.

Como havia galinhas e porcos assustados ali por perto, eles resolveram correr em direção a um lugar seguro, para fora do bosque. Mas, nao foi uma boa ideia, ambos estavam perdidos dentro do bosque. A alegria de ambos fora tanto quando entraram no bosque que nem notaram que haviam pego caminho diferente ate o "cantinho do amor".

Entao, ouviram passos de algo por entre as matas.
A garota tremia de medo, sabendo que o que estava ali nao era apenas um humano e pensou ser algum animal selvagem, ou talvez um caçador de escravos, a mando do seu pai para busca-la.
A paranoia dela foi tanta que ela começou a gritar para a escuridao, algo como:
"Eu te pago o dobro do que meu pai te ofereceu para que voce deixe que fugimos juntos e tranquilos para fora do bosque, é só voce nao contar que eu me encontro com ele"

E Nao ouve resposta.
O escravo entao, estava com o coração saltando pra fora quando ela começou a "conversar" com a escuridao, pensando ser um caçador escondido.

Foi quando aos poucos eles ouviram um barulho estrondoso de baforadas pesadas de um animal raivoso, e um cheiro muito forte de enxofre (bom, decidiram que iria ser enxofre porque o cheiro era forte, e enxofre deixa as historias mais legais).

O casal entao com medo voltaram a correr quando um imenso fucinho com grandes presas saiu de fora o mato onde estava escondido.
Mas, quando voltaram a correr, o escravo deu um grito de dor, o tal animal selvagem o atacou gravemente nas costas (em Storyteller ele estaria Ferido Gravemente -2).

Mas, mesmo com dor e com medo ao extremo, eles conseguiram fugir.
A garota foi para casa, a tarde da noite e com rosto palido (dizem que levou uns tapas do pai, que ja havia percebido o seu desaparecimento), ja o escravo chegou todo fodido no barraco, alguns escravos que se diziam curandeiros, fizeram uns chás e usaram alguns ... Band aids nele, mas ele dormiu, e dormiu por algumas semanas.


Acontece que quando ele acordou, tudo estava estranho, tudo mudou.
Ele ja nao sentia o mesmo pela garota. Ele trabalhava em dobro, com força de 4 homens e folego de um elefante.
Algumas fontes dizem que nas quartas e sextas de lua cheia ele simplesmente sumia, algumas fontes tambem dizem que ele perdeu totalmente o amor pela garota e só pensava em comer, comer, e comer carne crua.
E a garota, depressiva pelo fato dele te-la simplesmente esquecido dela, acabou se matando no "cantinho do amor" deles, no meio do bosque."


Bem, a historia é essa, nao é feliz, porque dizem que é veridica, segundo os velhos de cidades velhas.

é só pessoal, espero que tenham gostado deste "Conto" considerado de "Lobisomens".

Até mais.

5 comentários:

  1. Gostei da historia e do blog também :D

    ResponderExcluir
  2. a historia é de verdade, toma cuidado quando andar por bosques sinistros de noite!

    ResponderExcluir
  3. ..Principalmente em cidadezinhas mateiras como ML....
    De qualquer forma a historia é boa... Valeu Fowl!!!

    ResponderExcluir
  4. Ah..estamos aí para fazer o possivel! o/

    ResponderExcluir